segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A MORTE DE SHANNON LARRATT, FUNDADOR DO BMEZINE

Shannon Larratt
Mais um representante, lutador e precursor da modificação corporal deixa este mundo. Shannon Larratt, criador do influente site BMEzine e responsável por unir milhares – talvez milhões – de adeptos da body art num só endereço virtual, faleceu ontem, dia 15 de março. Já citei seu trabalho diversas vezes em meus textos aqui e não seria exagero dizer que Shannon foi um ícone, uma lenda viva cujo legado continuará por meio daqueles que se esforçam para esclarecer e apresentar ao mundo novas possibilidades e experimentos para com o corpo. Mesmo a distância, o tive como um professor e guia desde que me interessei pela tatuagem e por outras formas de manipulação do corpo, seguindo o BME desde a adolescência – meio pelo qual conheci muitas pessoas interessantíssimas e queridas!
Canadense, nascido em 1973, Shannon foi um programador, web designer, escritor e artista, entre outras coisas. Sempre com notas altas na escola, recebeu uma bolsa de estudos para a York University, entrando para o programa de Bacharelado em Belas Artes, que deixou após cursar um ano. Ele cursou ainda um ano de Ciência da Computação na University of Toronto, mas também deixou o programa. Criou o BMEzine em 1994, a partir do qual reuniu trabalhos diversos para publicação de livros e a produção de vídeos, dentre eles o filme “Uvatiarru”.
Shannon Larratt 02
Filho de uma sul-africana, ele teve acesso a livros sobre a cultura africana desde muito novo. Antes de ele nascer, seu pai já tinha uma tatuagem de um jaguar, que ganhou como prêmio em uma competição de luta. Aos 16 anos, Shannon passou a se tatuar, além de fazer escarificações nele mesmo e em parceiros; colocou piercings em si também e começou a alargar as orelhas. Ele acreditava que esse interesse estava naturalmente incorporado nele, sendo algo imutável, como a orientação sexual. Seus pais, no entanto, não aprovavam sua aparência e tinham uma relação bastante conturbada com o filho “diferente”, que passou sua adolescência sentindo-se um estranho.
Pioneiro em práticas como o surface piercing e, mais recentemente, a pigmentação do globo ocular, Shannon tinha, na modificação corporal, uma forma de controle sobre seu corpo e mente, de encontro a problemas incontroláveis dos quais sofria. Devido à depressão e à ansiedade, ele chegou a tentar suicídio diversas vezes e, dessa forma, acreditava que a possibilidade de controle que a body art oferece poderia ser psicologicamente benéfica, mesmo que a intervenção (o corte ou o play piercing, por exemplo) fosse temporária.
Shannon Larratt 03 
Em 2007, Shannon foi diagnosticado com um problema crônico nos nervos que lhe provocava dores por todo o corpo. Mais tarde, descobriu que tratava-se de uma condição rara, chamada miopatia de agregados tubulares. Com grande parte dos sintomas sendo pouco conhecida, a única certeza de Shannon é que seus músculos poderiam se degenerar gradativamente, resultando em dor e desconforto crescentes. Em seu blog pessoal, ele frequentemente relatava sobre os problemas de saúde e o quanto estava cansado de viver o tempo todo sentindo dores e espasmos incontroláveis. Infelizmente, parece que a doença acabou vencendo. Aqui, é válido o clichê de que, pelo menos agora, sua dor acabou.
Fontes: ZentasticBMEzineWiki.BME