segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

TATUAGENS NAS PRISÕES RUSSAS – PARTE I

Em poucos lugares a hierarquia se mantém tão rígida quanto nas prisões.
Uma das marcas legendárias do sistema hierárquico são as tatuagens e, notadamente, a simbologia dos desenhos que encerram a estrutura social dentro das prisões russas é considerada uma das mais complexas.
A existência de documentações desde os anos 1920 mostram que essa prática, que ocorria tanto em prisões quanto em campos de trabalho forçado, foi mantida em segredo até os anos 1990. Muito provavelmente a queda do comunismo na Rússia abriu um espaço para que o assunto viesse à tona, apesar de ter marcado também o início do desaparecimento dessa “arte” secreta.
Na verdade, desde o século XIX trabalhadores dos campos de trabalhos forçados eram marcados com a abreviação “KAT”, de katorznik (каторжник), que significa “condenado”.
A origem dos códigos
Dizem que a simbologia das tattoos foi implantada pelo grupo chamado Vor v Zakonye (вор в законе), que significa algo como “ladrões por lei” ou “ladrões por afinidade”, formado por criminosos que começaram a juntar forças para sobreviver no sistema Gulag. São eles que estão no topo da hierarquia social.
O motivo de instituírem as tatuagens como marcas de identificação está na história bíblica de Caim e Abel. Por ter matado seu irmão, Caim recebeu uma marca de Deus; uma lembrança  permanente de seu crime e, ao mesmo tempo, um sinal de que ninguém poderia tocá-lo.
Tatuagens nas Prisões Russas
Basicamente, tudo o que você precisa saber sobre o sujeito está nos desenhos que carregam: pelo que ele foi condenado, quantas vezes foi preso e que tipo de criminoso ele é, entre outros. Houve uma época em que mesmo os que não queriam fazer as tatuagens acabavam “recebendo-as” à força e, até hoje, é preciso merecer o desenho.
Alguns deles também são feitos como castigo e humilhação, por exemplo, quando o indivíduo tem uma dívida ou perde uma aposta; estupradores ou traidores frequentemente ganham marcas na testa, exibindo sua falha moral, para com uma gangue ou para com um prisioneiro mais “poderoso”. Se algum espertinho tatua em si um desenho para parecer que pertence a uma classe mais alta ou para tentar esgueirar-se nela, é bem provável que acabe morto.
Enciclopédia única
O principal responsável pela divulgação do significado das tatuagens russas chama-se Danzing Baldaev. Ex-combatente da 2ª Guerra Mundial, foi designado em 1948 para trabalhar como carcereiro em Kresty, prisão que fica em Leningrado. Desde então, ele passou a coletar desenhos e informações sobre tatuagens dos prisioneiros, que resultaram nos três volumes da “Russian Criminal Tattoo Encyclopaedia” (apesar do preço salgado, o livro pode ser adquirido na Livraria Cultura, e eu acho que vale o gasto!). Para produzir este banco de dados com 3600 desenhos e suas respectivas histórias, Baldaev contou com a ajuda do fotógrafo Sergei Vasiliev e do escritor Alexei Plutser-Sarno. Em 2010, ainda foi lançado o interessantíssimo Drawings from the Gulag, com desenhos feitos pelo próprio Baldaev no período em que passou trabalhando para o sistema carcerário russo.
Para assistir
O documentário “The Mark of Cain” (você pode assisti-lo com legendas em inglêsaqui), produzido em 2001, é uma obra detalhada sobre essa prática, com entrevistas a presos, guardas e criminologistas que revelam os códigos e linguagens por trás das marcas.
A série “Corpos Marcados”, do canal de TV a cabo The History Channel, também tem um episódio dedicado à história das tatuagens na prisão russa, sob o título de “Maldade Pura” (excetuando o clichê do nome, é um programa muito bom!).
Existe ainda um filme chamado “Senhores do Crime” (Eastern Promises, 2007), com Viggo Mortensen e Naomi Watts, que conta a história de uma mulher que, ao testemunhar a morte de uma jovem durante o parto num hospital de Londres, decide procurar pela família para dar pessoalmente a notícia e acaba descobrindo o submundo do crime organizado na Rússia. (Ainda não assisti, mas já vou avisando que as resenhas que andei lendo do filme não foram lá muito favoráveis/positivas… ainda assim, continuei com vontade de ver!)
Tatuagens nas Prisões Russas
Veja a segunda parte das tatuagens nas prisões russas.
Fontes: The Radical AntfarmDermis Layer; History Channel: “Corpos Marcados – Maldade Pura”